Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Quem é o GOAT??

Qual o melhor jogador de todos os tempos?

17% 17% [ 2 ]
0% 0% [ 0 ]
8% 8% [ 1 ]
50% 50% [ 6 ]
8% 8% [ 1 ]
8% 8% [ 1 ]
0% 0% [ 0 ]
8% 8% [ 1 ]
0% 0% [ 0 ]
Total dos votos : 12

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 Quem é o GOAT?? em Sex Dez 16, 2011 10:15 am

Vamos lá,,, para testar aqui a funciponalidade de votação do fórum.

Fórum que é forúm.. tem de ter uma thread sobre quem é o GOAT.

O termo G.O.A.T quer dizer Greatest of All Time. São muitas as discussões, subjectivas e nem sempre racionais, sobre quais os jogadores que se podem sequer candidatar a este título, e sobre quais os critérios a avaliar para tal nomeação!

Vamos por partes. Em termos de critérios há alguns que na minha opinião são obrigatórios:

1) Ter sido número 1 do mundo
2) Carreira de destaque com 40 ou mais títulos de singulares ganhos
3) Número elevado de Grand Slams ganhos. Mínimo de 6
4) Época em que jogou. O jogo evoluiu muito. Rod Laver foi um dos melhores, mas hoje em dia provavelmente nem figuraria no Top 100
5) Versatilidade do seu jogo

Principalmente devido aos reinados de Sampras e Federer, um dos principais critérios e motivos de discussão prende-se com o Grand Slam Parisiense. A vitória em Rolland Garros e a realização de um possível Grand Slam de calendário ou de carreira (ganhar todos os 4 torneios do Grand Slam no mesmo ano de calendário ou durante a carreira) é um dos pontos considerados importantes na nomeação para o G.O.A.T.

Se analisarmos friamente, olhando pura e simplesmente para as estatísticas, se calhar vamos ter alguns resultados surpreendentes.

Se considerarmos como critério para o G.O.A.T o número de torneios de singulares ganhos temos se calhar um improvável candidato, Jimmy Connors destacado com os seus 109 títulos.

1) Jimmy Connors 109
2) Ivan Lendl 94
3) John McEnroe 77
4) Roger Federer 70
5) Pete Sampras 64
6) Bjorn Borg 63
...
12) Rafael Nadal 46

Se considerarmos o número de semanas em nº1 do ranking, ou seja, o número de semanas em que o jogador dominou o circuito e todos os outros jogadores, (se calhar um excelente critério) temos o seguinte top 5, já com alguns jogadores que se repetem em relação à lista anterior: Lendl, Connors, Mcenroe e Sampras.

1) Pete Sampras 286
2) Roger Federer 285
3) Ivan Lendl 270
4) Jimmy Connors 268
5) John McEnroe 170

Se considerarmos o número de torneios de Grand Slam ganhos, apesar de ainda estar no activo Roger Federer que por certo irá bater o recorde de 14 de Pete Sampras, temos o seguinte top 5:

1) Roger Federer 16
2) Pete Sampras 14
3) Roy Emerson 12
4) Rod Laver 11
5) Bjorn Borg 11
6) Rafael Nadal 10

Muitos poderão no entanto dizer que o número de Grand Slams ganhos depende em muito da concorrência que o jogador enfrentou durante a sua carreira. Alguns defendem que na altura Pete Sampras teve de defrontar jogadores como Andre Agassi, Jim Courrier, Michael Chang, Goran Ivanicevic, Lleyton Hewhitt, Marat Safin, Stefan Edberg, Boris Becker, Patrick Rafter, Kafelnikov, Moya etc., todos eles vencedores de vários torneios do Grand Slam, e muitos deles número 1 mundial, enquanto que, durante muitos anos, Roger Federer só parece ter oposição de Nadal e, ocasionalmente de Djokovic.

Obviamente que existem sempre critérios de subjectividade sobre o G.O.A., tais como talento inato e a capacidade de fazer aquilo que nenhum outro jogador jamais fez. De revolucionar o jogo, de literalmente criar novas pancadas no ténis e novas tácticas. Existiram alguns jogadores como esses que revolucionaram o ténis e o fizeram entrar em novas eras:

John Mcenroe: Reconhecido como um dos mais talentosos e carismáticos jogadores da história do ténis. Um atacante puro. O seu toque e coordenação são lendários. Ganhou 77 títulos de singulares e 7 Grand Slams. Teve a melhor época de sempre com 82 vitórias e 3 derrotas (recorde que detém até hoje) com 13 títulos. Mac não se limitava a jogar singulares. Foi um dos melhores jogadores de pares de todos os tempos, onde amealhou também 77 títulos de pares, incluindo 9 títulos de pares masculinos e 1 de pares mistos. Foi também um dos precursores da Taça Davis, tendo o recorde de presenças pelo seu país tendo ganho vários troféus!

Ivan Lendl: Lendl simplesmente revolucionou o jogo. Jogador mecânico, muito trabalhado e de pancadas algo robóticas, foi o principal impulsionador da preparação física no circuito ATP. Antes de Lendl pura e simplesmente não existia a preparação física que se veio a verificar depois e o surgimento do power-tennis de hoje em dia (também ajudado pelos avanços tecnológicos no equipamento). Lendl apostou a dada altura numa condição física soberba, o que teve resultados e o permitiu dominar o circuito por vários anos. É segundo com mais títulos ganhos (94), apenas atrás de Jimmy Connors.

Pete Sampras: Pistol Pete foi um dos jogadores mais importantes da era Open. Com os seus 14 grand Slams (7 Wimbledons, 5 US Open e 2 Australian Open) Pete Sampras dominou o circuito profissional durante 6 anos consecutivos, terminando o ano sempre em número 1. Sampras marcou uma era pelo seu jogo, pela sua postura, e pela histórica rivalidade saudável com Andre Agassi.

Bjorn Borg: Foi o pioneiro da era Pop do ténis. Foi o primeiro ídolo das massas quando o ténis se tornou num desporto popular no início da era Open. Um autêntico ídolo, rivalizado apenas pelos Beatles em termos de histeria em massa de jovens adolescentes. O seu visual ainda hoje serve de inspiração a muitas das marcas actuais de equipamentos de ténis. Com uma personalidade peculiar, ganhou 5 títulos consecutivos de Wimbledon e 6 de Rollad Garros. Terminou a carreira aos 26 anos quando John Mcenroe lhe tomou o primeiro lugar porque, segundo dizia "ser número 2 ou número 50 é a mesma coisa. O que interessa é estar no topo".

Roger Federer: Após a era Sampras Agassi, com breves períodos de domínio por Lleyton Hewhitt, Gustavo Kuerten e Marat Safin no início do novo milénio, Roger Federer surgiu talvez com o ténis mais completo de sempre, amealhando 16 títulos do Grand Slam. O seu ténis esteticamente perfeito, versatilidade e toque, contransta com o ténis de força praticado por Roddick, Blake, Gonzalez e outros. Um sério candidato (as contas fazem-se no fim da carreira) a G.O.A.T. Como aspectos menos positivos o facto e não jogar pares e de não ter um compromisso sério com a sua selecção de Taça Davis.

Andre Agassi: Apesar de não aparecer nas principais estatísticas, foi um dos mais admirados e adorados jogadores da modalidade. Passou de um miúdo rebelde com cabelo pintado e roupas "neón", para um mestre Zen do ténis (como lhe chamou a sua "brevemente" namorada Barbara Streissand). Mesmo assim somou 8 títulos do Grand Slam, 2 US Open, 4 Open da Austrália, 1 Wimbledon e 1 Rolland Garros, sendo apenas um de 2 jogadores na história a completar o Grand Slam da carreira. Foi também vencedor da medalha de ouro nos jogos olímpicos. O melhor de sempre a responder ao serviço, tinha uma capacidade inigualável de bater a bola cedo na subida. Vi-o ao vivo na Masters Cup de Lisboa..e a velocidade de bola era uma coisa do outro mundo! Um dos meus favoritos.

O meu Ranking
Na minha opinião, e analisando todos os dados anteriores, fica aqui o meu top 5 dos candidatos a G.O.A.T.

1) Pete Sampras: Pelos seus 14 Grand Slams, pelos 6 anos em número 1, pelo número de títulos conquistados, pela sua postura de grande campeão.

2) John Mcenroe: pela genialidade, pelos 77 títulos de singulares e 77 títulos de pares, pelo percurso fenomenal de Taça Davis e pelo espectáculo garantido!

3) Roger Federer: Pela postura, pelo jogo versátil, pela genialidade, pelo que conseguiu em termos de provocar um aumento de nível de jogo em todos os seus concorrentes directos, terá muito provavelmente, após o fim da sua carreira, a hipótese de se tornar no melhor de todos os tempos. Seja como o for o modo como a história o recordará, penso que ficará sempre associado a uma época de fraca concorrência, apenas com a excepção de Nadal e Djokovic.

4) Jimmy Connors: por ser "o" competidor nato! O seu recorde de 109 títulos de singulares tem uma explicação. Teve uma carreira invulgarmente longa. Chegou às meias-finais do US Open com 38 anos. Connors era um competidor por natureza. Celebrizou a esquerda a duas mãos (muito antes de Borg) e o jogo de fundo de court que viria a dominar o circuito anos mais tarde.

5) Ivan Lendl: Pelo número de títulos, pelas 8 finais consecutivas no US Open e por ter levado o ténis a outro nível no que diz respeito a treino e preparação física. Depois dele nada mais foi igual!

Deixem a vossa opinião sobre os vossos preferidos para G.O.A.T!

Ver perfil do usuário

2 Roger é o GOAT em Sab Dez 17, 2011 8:43 pm

Roger Federer é o GOAT. Dizer que teve fraca concorrência é algo que só abona a favor dele. Se um jogador se destaca dos outros quando está no auge da sua carreira apenas significa uma coisa. Que está muito à frente dos restantes. Não significa que os outros são fracos, quando comparados com os tempos do Sampraas ou McEnroe. Apenas que deixou a concorrência a léguas de distância, e ainda hoje (claramente em fase descendente, mas com ténis de muito bom nível) está entre os melhores (ainda se lembram de quem ganhou o Masters no mês passado?). Este ano o melhor foi Djokovic e mesmo assim Federer conseguiu eliminá-lo de Roland Garros. Roger tem um ténis de ataque, ao contrário de Nadal e Sampraas, e basta ver os vídeos no youtube com as melhores jogadas para ver que o ténis de Roger é espectacular, genial, elegante e com muita categoria!

Aconselho vivamente a verem este vídeo no youtube, para tirarem as vossas dúvidas:

http://www.youtube.com/watch?v=6fy5dNLP0go&feature=related

Ver perfil do usuário

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum